Hoje eu peguei o nosso livro que estava na estante, coberto de poeira. Aquele em que eu escrevi “Eu + Você” na capa. Não quis abri-lo, mas mudei de ideia rápido. Fui folheando as páginas que escrevi até então. Desde o comecinho, quando notei a sua existência. Não o considero um diário, mas sim um livro, com muitos capítulos, porém inacabado. Vou folheando e lendo essa estória sem sentido, cheia de altos e baixos, onde eu era a narradora em 1ª pessoa. Você sempre foi o personagem impossível e distante. Eu me dediquei a escrever com uma letra bonita, mas de quê adiantou? Eu não te culpo por nada disso e nunca o farei. A culpada sempre fui eu, desde a primeira letra do primeiro capítulo. Comecei errando e tudo foi piorando com o tempo. As palavras aqui escritas são a prova disso. Virou um vício pensar em você dia e noite e me perguntar por que não era justo. Eu dizia não pensar mais em você e no mesmo instante seu rosto se formava em minha mente, me fazendo querer chorar. Mas hoje não. Não mais. Eu consegui, finalmente. Para o bem de nós dois. Sabe, foi estranho eu aceitar assim, tão de repente. Mas é isso. E agora, eu estou folheando este livro até chegar à ultima página. Vou terminar logo com isso. Não irá fazer diferença, pois você nunca soube da existência desse livro, nem de nada. Afinal, não faz mal terminar o que nunca deveria ter começado.

P.S.: The End.

Anúncios