vovó

Hoje me bateu uma saudade de você, vovó, quer dizer, sempre sinto, é que hoje ela estava beliscando sabe, aqui dentro… Eu te amava muito, vovó, e ainda amo, só não tinha ideia do quanto e aí, quando a senhora foi embora, eu tive de conviver com o silêncio do meu quarto escuro sem as suas histórias antes de dormir, eu tive de conviver com a ausência daquela sua mão tão macia afagando meus cabelos, fazendo cachinhos nas pontas com os dedos, tão finos…

Eu tive que crescer quando a senhora se foi, eu não podia mais pegar as suas joias e seus batons e seus perfumes para brincar, pois alguns se tornaram meus então. Se era esse o preço, preferiria que eles ainda fossem todos seus para que eu tivesse de pegar escondida e, entre risadas, ser descoberta por você.

Eu ainda me lembro daquele dia, eu disse que você ainda havia de ver seus bisnetos crescerem e aí a gente riu, eu disse que você e a mamãe iam entrar comigo na Igreja, no dia em que eu casasse, uma de cada lado meu. Nós rimos de novo, mas depois de um tempo eu olhei ao redor e você não estava mais por ali, vovó.

Eu tenho saudades mil, mas eu vejo a senhora tanto em mim como na mamãe, parecemos demais com você, em muitos aspectos. Saiba que eu estou cuidando direitinho dela, e ela de mim, estamos fazendo tudo conforme o combinado.

Amadurecemos muito, mamãe e eu e estamos aqui, lembrando todo dia você e pedindo a Deus que Ele cuide bem de você aí e nós sabemos que Ele o está fazendo e somos muito gratas por isso. Te amo muito vovó, e mamãe também.

Licença Creative Commons
É Que Deu Saudades… de Agatha Fawkes é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Baseado no trabalho em paginasdobradas.wordpress.com.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em https://paginasdobradas.wordpress.com/.

Anúncios