Amar é sofrer. Nunca houve outro sentimento que machucasse tanto quanto o amor. Mas acho que também nunca houve alguém que não quisesse amar. Sentir aquela dor pungente queimando e, mesmo assim, não querer se afastar. É ser livre para ir aonde quiser, com quem quiser, e, ainda assim, nunca querer aparta-se de quem se ama. Amar é renunciar: sonhos, vontades, palavras. É afogar outros sentimentos naquele amor que te inunda, preenchendo seu coração e sufocando até a sua própria existência.

Para quem ama, tudo soa, tudo parece diferente. Você ama quando a única verdade que você conhece está no brilho dos olhos, na ternura da face, na luz do sorriso de alguém. Quando, apesar da saudade, da distância, a memória não se apaga e o sentimento não enfraquece.  Quando se ama, os momentos passados juntos são eternos, cada segundo é valioso e inesquecível. Quando o amor existe, não importa o que os outros digam ou pensem, a ÚNICA coisa que importa é a pessoa a quem você dedica tudo o que sente e enfrenta toda e qualquer maldita barreira que aparecer.

Quando o amor acontece, o mais importante é amar.

Licença Creative Commons
O trabalho Um texto sobre tudo que eu já senti e tenho medo de dizer. de Alice L. Neruda foi licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição – NãoComercial – SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em paginasdobradas.wordpress.com.

Anúncios